Translate

quarta-feira, 26 de setembro de 2018

Libido I

Libido I

O conceito de libido é muito amplo. Normalmente pensa-se que é só sexo. Libido é a energia que move tudo. É o Chi, a energia vital que mantém tudo vivo. Desde uma partícula elementar até aglomerados de galáxias.

Eros é o Arquétipo que provoca a interação entre tudo o que existe no universo. Desta forma há crescimento de qualquer forma.

Quando foi explicado que a libido faz com que o inconsciente se agite, libere conteúdos, solte a couraça, baixe o escudo, dissolva os nós, estava implícito todas as outras formas de ação da libido e não apenas a sexual.

Quais as formas de abrir o inconsciente?

Tudo que é feito com muita intensidade abre o inconsciente, tanto para pôr conteúdos, quanto para libera-los. Como é um “depósito” muito profundo de energias vivas, para se chegar lá é preciso muita intensidade energética para interagir com o que está reprimido ou programado. Ações superficiais nem arranham a superfície dele. Por exemplo: os traumas são gravados porque tem forte intensidade energética e de dor. E para serem desgravados precisam de uma energia igual e contrária.

Trabalhar abre o inconsciente. Só que é trabalhar muito. Sem medir horários nem tarefas. A intensidade do gasto energético trabalhando é que faz com que abra. Um trabalho normal não faz isso. Trabalhos estressantes, perigosos, guerra, fazem essa abertura. Portanto, se a pessoa trabalhar intensamente neste nível, ela abrirá e poderá acessar os conteúdos, interpretar, libera-los e integra-los.

Outra forma é estudar muito. Com a mesma intensidade descrita acima. Por exemplo: ler sem parar por 5 anos seguidos. Dia e noite. Também provocará uma mudança profunda.

Passear com a mesma intensidade. Escalar o Everest, navegar no mar sem muita proteção, um safari com riscos reais (para fotografar), aviões pequenos, tudo que for intenso abrirá. 

Diálogo profundo e duradouro. Conversar aprofundando o nível de conversa, sem horários fixos (Jung e Freud conversaram por 13 horas seguidas na primeira vez. Tem caso de cientistas que conversaram por 3 dias seguidos.) Uma música do Luís Miguel fala sobre conversar um ano inteiro. Não são diálogos de minutos. São horas sem fim. Quando se dialoga sobre um tema e uma das pessoas adota a posição de mostrar todas as variáveis, o outro chega num ponto em que o cérebro tem de dar um salto qualitativo. O que Prigogine chamou de Teoria das Estruturas Dissipativas. Ou salta ou decai. Esse tipo de diálogo abre o inconsciente. Pois não é possível conversar assim sem dissolver a couraça.

Devo ressaltar que não estou dizendo para fazerem essas coisas acima sem um acompanhamento profissional terapêutico. Abrir o inconsciente é uma coisa que requer muito cuidado para elaborar os conteúdos e integra-los na personalidade. O que estou mostrando é que libido é muito mais que sexo. Todas as atividades acima têm um componente imenso de libido e de Eros. Tudo que é um ritual de morte/renascimento tem Eros comandando.

Qual a vantagem de integrar o inconsciente? Imensa. Quando se entende que a Psique é a Centelha Divina e que a liberação e integração do inconsciente faz com que o ego se identifique com a Centelha, fica claro a importância disso. Nesse ponto todos os problemas pessoais estarão resolvidos. Pois, haverá uma nova visão de mundo. As contas a pagar podem continuar lá, mas a visão sobre isso e a solução serão vistas de outra forma. As soluções aparecerão quando se entrega tudo para a Centelha Divina dentro de cada um. Entregar a vida para a Centelha não é uma coisa intelectual. É um sentimento de unidade cósmica. Não é uma fuga, nem mágica, nem magia. Todos os problemas deste mundo continuarão, mas a abordagem será completamente outra. É uma transformação profunda onde não há mais interesses particulares. Todos os problemas deste planeta têm solução, mas é preciso que um número significativo de pessoas deixe a própria Centelha Divina assumir a vida da pessoa. Isso é o que inúmeros filósofos, místicos, explicaram desde 6 mil anos atrás. E isso até hoje não foi aceito. Todo o trabalho de Jung e Campbell foi explicar isso. Documentando exaustivamente essa tentativa de explicar para a humanidade que só aceitando o Self há solução. A terminologia pode ser outra, mas é exatamente disso que estão falando. E muitas vezes falaram claramente.

Não existe uma Psique independente de tudo o mais. A Psique é a Centelha. É o Self. Nosso ego está dentro da Psique. Como se a Psique fosse o Sistema Operacional e o ego um programa aplicativo que está rodando. Quem controla tudo em última análise é a Psique. Por isso eles viram que todos os conteúdos arquetípicos, mitológicos, os sonhos, tem o mesmo fundamento. Foi por isso que puderam identificar os Arquétipos em ação em tudo desde os primórdios do homem na Terra. Essa “coincidência” só é possível porque só existe uma Psique. Tudo o mais está dentro dela. Todas as consciências existem dentro de uma mesma Psique. É como se todos os computadores do mundo usassem o mesmo sistema operacional que não está instalado em cada máquina, mas que existe virtualmente e todos podem acessa-lo, rodando os programas que quiserem, mas todos sob controle do mesmo sistema operacional. Acho que assim fica claro para entender o que é a Psique.

Pode-se pensar que cada um tem uma Psique, mas não é assim. O ego é diferenciado, mas todos os egos estão dentro de uma única Psique. O ego no início é um indivíduo. Quando há a fusão com a Centelha o ego fica individuado, isto é, tornou-se um com a Centelha. A Psique assumiu todo o controle daquele ego. O ego não sumiu (ninguém precisa ter medo disso), mas agora ele vê, sente, percebe, age, raciocina, de acordo com a Psique.

É nesse ponto que é possível a tão almejada felicidade pessoal. A alegria, a prosperidade e tudo o mais que é bom.


Hélio Couto
2016
Vídeos: www.cursosheliocouto.com.br
Site: www.heliocouto.com








Nenhum comentário:

Postar um comentário


ATENÇÃO

Videos editados I

Ninguém está autorizado a editar meus vídeos e fazer montagens, cortes, adições ou qualquer outra manipulação com as imagens das palestras.

Somente com autorização por escrito alguém pode usar minhas imagens.

Isso já foi dito na palestra passada e já postei sobre isso.

Quem está fazendo isso está prejudicando o trabalho.

Existe uma estratégia de divulgação feita por mim e que está sendo seguida à risca.

Todos os vídeos editados por outras pessoas devem ser tirados de qualquer mídia em que estiverem.

Postagens populares

Marcadores

mecânica quântica (140) crenças (88) prosperidade (49) como criar prosperidade (43) auto-sabotagem (26) consciência (25) centelha divina (24) arquétipos (22) resistência ao crescimento (22) ego (21) canalização (20) dinheiro (19) sistema de crenças (19) crenças que criam prosperidade (17) dívidas (17) co-criador consciente (16) igreja cristã de aton (16) aurora dourada de uma nova era (15) 2012 (14) depois de 2012 (14) realidade última (14) economia (13) expansão de consciência (12) mandala do lírio (12) relacionamentos afetivos (12) experimentos da mecânica quântica (11) iluminação espiritual (11) 21 de dezembro de 2012 (10) a verdade e a liberdade do lírio (10) espiritualidade (10) extraterrestres (10) gerenciamento quântico (10) revolucionário quântico (10) Deus (9) Leitura (9) colapso da função de onda (9) negócios quânticos (9) protocolo de relacionamentos (9) zona de conforto (9) a teoria do caos (8) poder divino criativo (8) somatização (8) O amor do lírio (7) a bioquímica do amor (7) catarse (7) ciência e espiritualidade (7) cérebro reptiliano (7) o equilíbrio de nash (7) transferência de consciência (7) ansiedade (6) preconceitos (6) tabus (6) efeito zenão (5) experimento da fenda dupla (5) líria (5) medo (5) o mestre (5) outras dimensões (5) vida após a morte (5) a evolução do processo da rh (4) eletro-magnetismo (4) fenda dupla (4) magia (4) protocolo (4) agenda reptiliana (3) as chaves de nefertiti (3) as máscaras de Deus (3) atendimento (3) contabilidade cósmica (3) educação (3) energia sexual (3) estado de consciência (3) eu sou (3) manifesto quântico (3) pnl (3) suicídio (3) traumas (3) vácuo quântico (3) yin yang (3) a criança índigo (2) arqueologia secreta (2) causa e efeito (2) depressão (2) nefertiti (2) osho (2) princípio da incerteza (2) mensagem de Líria (1) mensagem do pai (1) realidades paralelas (1)