sábado, 20 de janeiro de 2018

Auto-sabotagem XII

Auto-sabotagem XII

Teorema da Interconectabilidade de Bell

A maioria dos cientistas acredita em: Este-Mundo-É-Tudo-Que-Existe. E toda a educação está baseada nesta crença. Isto se chama Materialismo Científico. Porém, como Niel Bohr disse a física só estuda os fenômenos. Ela não se interessa pela Realidade Última. Isso deveria ser proclamado em todas as escolas para que as crianças soubessem dos limites que a própria ciência se impôs.

O Teorema de Bell prova que existe uma comunicação não-local (como eles gostam de falar). O Teorema de Bell é sobre um FATO. Não é física teórica. Em cima do fato foi descrita uma teoria. Vejamos se fica claro: O TEOREMA DE BELL É UM FATO REAL DE COMO O UNIVERSO É. Ele mostra que a comunicação entre duas partículas correlacionadas acontece mais depressa que a velocidade da luz. E neste universo local nada é mais rápido que a luz. Portanto, a comunicação acontece num universo não-local. Falando de outro jeito, numa dimensão diferente da nossa.

Acontece que todos os partidários do Este-Mundo-É-Tudo-Que-Existe não podem admitir outra dimensão, nem nada que não seja o mundo material. O mundo desta terceira dimensão. Em virtude disto temos desde 1964 um impasse.

O físico Nick Herbert, no livro “A realidade quântica”, explica desta forma: “A essência de uma interação local é o contato direto – tão básico quanto um murro no nariz. O corpo A afeta localmente o corpo B quando ele toca no corpo B, ou toca em algo que toca o corpo B. Inversamente, a essência da não-localidade é a ação à distância, sem mediações. Uma interação não local salta de um corpo A para o corpo B sem tocar em nada entre eles. O ferimento vodu é um exemplo de interação não local.”

Como os físicos não admitem a conexão não-local, a explicação dada para a gravidade é de que tem de haver uma permuta de partículas (o campo gravitacional). É por isso que procuram o gráviton.

Herbert diz: “Quando A se liga a B não-localmente, nada se atravessa no espaço entre eles; nenhuma quantidade de matéria interposta poderá anular a interação. As influências não-locais não enfraquecem com a distância. Elas são tão potentes à distância de um milhão de quilômetros quanto à de um milímetro. As influências não-locais agem instantaneamente. A rapidez de sua transmissão não está limitada pela velocidade da luz. Uma interação não-local liga um ponto a outro sem cruzar o espaço, sem enfraquecer e sem demora. Uma interação não-local, em resumo, é não mediata, não atenuável e instantânea. Bell reafirma que elas fundamentam todos os eventos da vida cotidiana. As influências não-locais gozam de ubiqüidade porque a própria realidade é não-local.”

“Considerando que não há nada que, em última análise, não seja um sistema quântico, se a conexão quântica de fase é “real” ela une todos os sistemas que, alguma vez no passado, tenham exercido entre si uma ação recíproca – não apenas no estado de fótons geminados – de modo a constituírem uma só forma ondulatória, cujas partes mais distantes estão interligadas de maneira não mediata, não atenuável e instantânea. O mecanismo dessa conectibilidade instantânea não é algum campo invisível que se estende de uma parte para a parte seguinte, mas o fato de que um pouco do “ser” de cada parte está alojado na outra. Cada quon deixa um pouco de sua “fase” aos cuidados do outro, e essa permuta de fases torna-os ligados para sempre. Talvez nunca venhamos a saber o que é realmente o embaralhamento de fases, mas o teorema de Bell nos diz que esse embaralhamento não é uma ficção matemática sem substância, e sim uma realidade com a qual se pode contar.”

O experimento de Alain Aspect, da Universidade de Paris, comprovou na prática a comunicação não-local em 1982. 

“É difícil transmitir para os de fora o desagrado que os físicos em sua maioria, sentem quando ouvem a expressão “não-localidade”. O que há de tão repulsivo numa conexão mais rápida que a luz?”.

Qual o problema em aceitar a não-localidade ou as outras dimensões da realidade? Esse é o ponto X. 

A explicação para a comunicação não-local é a seguinte: o Universo é um todo indiviso. Quando falo Universo estou falando em termos macro. Significa todos os universos, multiversos, dimensões, universos paralelos, branas, etc. Tudo-O-Que-Existe. O todo indiviso é um todo de uma única energia, uma única onda, em última instância. Um Vácuo Pleno de potencial infinito. Nele não há divisões. Cada parte está conectada à todas as outras partes, porque todas as partes são parte deste Todo. Logo, nenhuma informação precisa trafegar entre uma parte e outra. Não há sinal trafegando. Uma parte afeta a outra instantaneamente porque está ligada o tempo todo. Em termos de informação não há distância entre elas. Tudo que existe está interconectado com tudo o mais. E é isso que não podem aceitar. Vejam que não é entender. É não aceitar. E essa não aceitação é tão feroz, que mesmo quando a pessoa morre e sua consciência passa para a próxima dimensão, ela continua negando a realidade. É literalmente uma coisa de demência. Portanto, é uma não aceitação de como o Universo é. A não aceitação do Todo. Que é Pura Consciência Indivisa. 


Quando a humanidade entender isso todos os problemas estarão resolvidos. Todos. E isso é uma questão apenas de consciência. Pode acontecer em qualquer momento. Basta que a uma grande parte da humanidade entenda isso que está escrito acima para a mudança total acontecer. Para saltarmos para a quinta dimensão. Não há necessidade de mais dois mil anos para uma limpeza do planeta. Pode ser muito mais rápido. Se uma pessoa conseguir que duas pessoas entendam isso e cada uma dessas conseguir que outras duas entendam e aceitem, a mudança pode ser imediata.

Estamos a seis mil anos nesta situação de sofrimento e crueldade indizíveis (vejam Campbell). Isso tudo pode ser mudado agora e aqui. É uma escolha. A escolha que cada um faz afeta incontáveis bilhões de outros seres que estão sofrendo. Não há necessidade deste sofrimento. O sofrimento, medo, culpa, alimenta os seres negativos que usam esta energia como comida. Eles não sabem tirar a energia de que precisam da Luz. Ou não querem. Ou não aceitam. Eles sugam a energia de quem não acredita que é assim que é a realidade interdimencional. Esse é o problema da pessoa que não entende a realidade do universo. Quando a pessoa entende, ela dá um salto de consciência. Isso provoca uma mudança de freqüência, que torna a pessoa protegida contra a manipulação destes seres. Ninguém precisa ter medo destes negativos. A Luz é mais poderosa que tudo, mas é preciso optar pela Luz. 

Essa é a questão que está por trás de toda essa não aceitação da não-localidade. 

Quem tem olhos, veja!

Hélio Couto
2012


Direitos Autorais:
Copyright © Hélio Couto. Todos os direitos reservados.
Você pode copiar e redistribuir este material contanto que não o altere de nenhuma forma, que o conteúdo permaneça completo e inclua esta nota de direito e o link: www.heliocouto.com







Caridade


Caridade

Nelson Cavaquinho escreveu uma linda música chamada “Caridade”.

Nela tem uma estrofe que diz: “Me compadeço sempre de quem tem necessidade”.

Quando uma pessoa chega ao ponto de escrever algo assim é porque entendeu exatamente como funciona o Universo. Nelson pode não saber a física do eletromagnetismo, mas intuitivamente sabe tudo sobre isso. E conseguirá os resultados que almeja.

Acho que a maioria já sabe da palestra do dia 22 de abril de 2012, sobre a violência sexual contra a mulher e a criança. Enquanto isso não for resolvido, este planeta não terá solução. Porém, agora a solução já está em andamento. Os mais sensíveis podem perceber que a energia do planeta mudou. Tudo mudou. Dá para sentir no campo eletromagnético de tudo. Uma nova In-formação acaba de chegar ao planeta.

Não dá mais para esperar que os terrestres façam o que Nelson Cavaquinho disse. A zona de conforto é grande demais. É do tamanho do planeta, para dizer a verdade. A acomodação e o comodismo são grandes demais. É preciso acabar com a violência sexual contra a mulher. Acabar não é fazer discursos. Acabar é impedir que continuem fazendo as barbaridades que fazem a todo instante. Virar o rosto para o outro lado achando que o problema não é nosso, é de uma inconsciência absurda.

Bertolt Brecht, dramaturgo, disse o seguinte: (o contexto não me lembro) “Os nazistas vieram buscar meu vizinho católico. Eu não sou católico, não me importei. Depois vieram buscar os judeus. Eu não sou judeu, não me importei. Depois vieram me buscar.”

Essa é a questão principal. Fazer de conta que o problema não é nosso e que alguém deve estar fazendo alguma coisa para resolver é muito cômodo. A questão é que só falar não adianta. É preciso agir. E o problema cresce sem parar.

À medida que eu for escrevendo e detalhando o problema, vocês entenderão a gravidade da situação. De qualquer forma já existe a solução em andamento. Mais cedo ou mais tarde todos terão de se posicionar. Contra ou favor da solução. Não haverá muro para ficar em cima. Há uma mudança eletromagnética na consciência planetária. Isso já está acontecendo. A Mãe-de-Todas-as-Crises se aproxima. Ela exigirá um posicionamento de cada um.

Logo dirão que estou sendo alarmista e pessimista e etc. Não importa. Os problemas terão de ser resolvidos. Não será mais possível cada um se refugiar apenas em seus objetivos particulares. Não se poderá mais olhar só a árvore. Terão de olhar a floresta.


Hélio Couto 
2012





sexta-feira, 19 de janeiro de 2018

Da Informação Emerge o Cosmos


Da Informação Emerge o Cosmos

A revista Scientific American Brasil de março de 2012 traz o artigo “O Espaço é digital?”.

Neste artigo é descrito o experimento que o físico Craig Hogan da Universidade de Chicago e diretor do Fermilab Particle Astrophysics Center, fará para detectar o jitter, um ruído de fundo, que mostrará que o Universo é digital. Sugiro que todos leiam essa matéria.

Neste artigo fica claro que os físicos consideram que a “informação e, não a matéria e a energia, é a unidade mais básica da sua existência”.

“Que o Universo emerge da informação”.

Está dito com todas as letras que a essência do Universo é informação. Que mesmo quando o papel da revista for reprocessado a informação contida na revista não se perde e continua a existir. E com a tecnologia correta poderia ser recuperada. E que o que percebemos como a realidade física é pura informação.

Em outra edição da mesma revista, diz-se que a informação permanece mesmo nas cinzas ou fumaça de uma biblioteca queimada.

Todas essas afirmações são feitas por físicos. Eles afirmam que não sabem como recuperar a informação, mas ela permanece. Nunca desaparece.

Portanto, está claro para todos que a informação de tudo que existe, permanece para sempre no Universo? Passado, presente, futuro, dimensões, branas, etc.?

Está claro então, que a física corrobora tudo que afirmamos, sobre tudo no Universo ser informação?

Está claro então, que é só uma questão de se ter a tecnologia correta para acessar essa informação?

Esta claro então, que essa informação pode ser transferida?

Está claro então, que a Ressonância Harmônica é essa tecnologia?

Hélio Couto/ 2012

quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

Graça Divina



Graça Divina

Um grupo de ex-escravos é trazido para serem curados das feridas causadas pelo açoite implacável do senhor do engenho. Este açoitamento provoca cortes profundos nas costas dos escravos, até o desfalecimento e morte deles.

O suplicio continua após a morte, pois nada muda após a morte. Continuamos da mesma maneira que estávamos aqui. O que importa é a consciência. Teremos a mesma consciência e em conseqüência disto, os mesmos problemas.

Fisicamente, no corpo astral digamos assim, as costas continuam abertas e doendo terrivelmente.

São curados então instantaneamente de suas feridas. Recebem um novo corpo intacto. Seu mental também é tratado e recebem novas informações para que possam ser felizes.


Todos vão embora felizes e cantando. Deveria começar uma nova vida, de estudo, trabalho, diversão, realização, preparando-se para uma nova encarnação. Com todas as possibilidades de serem felizes.

Depois de um tempo começam a pensar novamente na tortura que sofreram e o sentimento de vingança surge lentamente e depois toma forma. Decidem ir atrás do algoz para puni-lo. Quando chegam perto do antigo torturador todas as feridas reaparecem e não conseguem fazer nada contra o senhor de escravos.

Voltam ao estado lastimável de sofrimento e dor que tinham.

São então trazidos de novo para serem curados. Recebem nova cura, novos corpos, etc.

São então esclarecidos de que o ódio e a vingança reabriram todas as feridas. Que devem deixar para trás a questão da justiça. Esta será feita através do campo eletromagnético do próprio torturador. Ele atrairá para si irreversivelmente a mesma situação que causou aos demais. Mais cedo ou mais tarde. Na próxima vida ou daqui a 3 mil anos. Não importa o tempo ele atrairá o que plantou.

Os ex-escravos entendem que devem começar uma nova vida. De novo recebem uma nova oportunidade e saem felizes novamente.

É assim que funciona a Mente Divina e o Amor Divino. A Graça Divina é derramada incondicionalmente por toda a criação.

Se os seres entendem que o Amor é tudo; a felicidade é imediata. Se não entendem, aprendem com a dor que criam com suas próprias consciências.

Como tudo é consciência, qualquer pensamento contrário ao pensamento Divino de Amor, cria uma situação contrária aos desejos de amor do Criador. E neste caso como somos co-criadores, descria a felicidade que teríamos fazendo a vontade do Pai. Isto é, amando incondicionalmente.

Este drama humano se repete indefinidamente na vida de um ser, até que ele entende que amar é a única solução. O tempo todo. Incansavelmente. Então a felicidade é impossível de se exprimir em palavras humanas, de tão grande que é.


Hélio Couto - 2012

quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

Alegria e Prosperidade

Alegria e Prosperidade

Quando estou no metrô olho o rosto dos demais passageiros. Na maioria vejo um silencioso desespero. Uma tristeza profunda. Uma desesperança.

A prosperidade em todos os aspectos e em todas as áreas somente advém de uma profunda alegria. Aquele sentimento de fundo que permeia todas as nossas ações.

Este tipo de alegria somente temos, quando sentimos aquela sensação de fluxo oceânico com a criação. Essa alegria de ser um só com o Criador e toda a criação é que permite criar todas as situações que queremos e desejamos.

Quando se chega nesse ponto é instantâneo. Essa alegria é fruto de saber, de conhecer. Não é achar; é saber. Existe uma enorme diferença. Saber é vivenciar. Tem-se certeza porque se conhece. É vivenciado.

Tudo que existe no universo só pode ser criado com extrema alegria. 

Uma alegria genuína. A alegria das crianças inocentes e boas. Essa alegria de deslumbramento e gratidão que sentimos quando estamos em êxtase. 

Essa experiência de pico, como Maslow falava, é essa experiência cósmica de união com o Todo. Isso em algumas pessoas acontece uma vez na vida, em outras que chegaram na fusão com o Todo, passa a ser o sentimento contínuo de amor sem fim. 

É a alegria de amar incondicionalmente. Quando chegamos num ponto em que não há mais possibilidade de outro sentimento que não o amor. Amor numa intensidade tão grande, numa amplitude tão imensa, que não importa mais de que lado das dimensões da realidade estamos. Continuamos amando sem cessar. Sem tabus e sem preconceitos. Puro amor.

Pura doação. Criando uma hierarquia entrelaçada que se reforça por si só.

É com essa alegria que criamos o que queremos, desejamos ou precisamos.

Caso não se esteja criando com facilidade é porque está faltando essa alegria pura, transbordante, infinita. 

Como se pode chegar a sentir continuamente essa alegria? Entregando-se incondicionalmente ao Todo e deixando que Ele dirija sua vida.


Hélio Couto


Direitos Autorais:
Copyright © Hélio Couto Todos os direitos reservados.
Você pode copiar e redistribuir este material contanto que não o altere de nenhuma forma, que o conteúdo permaneça completo e inclua esta nota de direito e o link: www.heliocouto.com

Alegria y Prosperidad




Alegría y Prosperidad


Cuando estoy en el metro veo el rostro de los demás pasajeros. En la mayoría veo una silenciosa desesperación. Una tristeza profunda. Una desesperanza.


La prosperidad en todos los aspectos y en todas las áreas únicamente sobreviene de una profunda alegría. Aquel sentimiento de fondo que impregna todas nuestras acciones.


Este tipo de alegría solamente lo tenemos cuando sentimos aquella sensación de flujo oceánico con la creación. Esa alegría de ser uno solo con el Creador y toda la creación es lo que permite crear todas las situaciones que queremos y deseamos.


Cuando se llega a ese punto es instantáneo. Esa alegría es fruto de saber, de conocer. No es creer; es saber. Existe una enorme diferencia. Saber es vivenciar. Se tiene certeza porque se conoce. Es vivenciado.


Todo lo que existe en el universo sólo puede ser creado con extrema alegría.


Una alegría genuina. La alegría de los niños inocentes y buenos. Esa alegría de deslumbramiento y gratitud que sentimos cuando estamos en éxtasis.


Esa experiencia de sabor picante, como Maslow decía, es esa experiencia cósmica de unión con el Todo. Eso en algunas personas ocurre una vez en la vida, en otras que llegaron a la fusión con el Todo, pasa a ser el sentimiento continuo de amor sin fin.


Es la alegría de amar incondicionalmente. Cuando llegamos a un punto en el que no hay más posibilidad de otro sentimiento que no sea amor. Amor en una intensidad tan grande, en una amplitud tan inmensa, que no importa más de qué lado de las dimensiones de la realidad estamos. Continuamos amando sin cesar. Sin tabúes y sin preconceptos. Puro amor.


Pura donación. Creando una jerarquía entrelazada que se refuerza por sí sola.


Es con esa alegría que creamos lo que queremos, deseamos o necesitamos.


En el caso de que no se esté creando con facilidad es porque está faltando esa alegría pura, desbordante, infinita.


¿Cómo se puede llegar a sentir continuamente esa alegría? Entregándose incondicionalmente a Todo y dejando que Él conduzca tu vida.


Hélio Couto



terça-feira, 16 de janeiro de 2018

O elétron sabe

O elétron sabe

Quando se fala das “esquisitices da mecânica quântica” parece que estamos falando de ficção científica ou esoterismo. É exatamente o caso quando falei que o elétron sabe o que está acontecendo com ele no experimento da Dupla Fenda.

Pois bem. Vejamos a revista Scientific American Brasil de número 61, edição especial de história e filosófica da ciência, que está neste mês nas bancas. Novembro de 2014.

Nesta edição temos uma entrevista do físico Yakir Aharonov, professor da Universidade Chapman (Estados Unidos). Sugiro que leiam o artigo inteiro.

Quero ressaltar um parágrafo do artigo: “Duas coisas que eu gostaria de dizer: primeiro que uma partícula sabe de que maneira será medida no futuro. Segundo, tenho a liberdade de escolha para efetuar essa ou aquela medição”.

E este: “Mas, cada partícula sabe que vou mudar de ideia e, a partir disso, produz uma alteração do próprio estado”.

E este: “O Universo também é um sistema quântico. Eu acredito que o Universo tenha a sua fórmula de onda que vem da história, do passado em direção ao presente, e outra, que vem do futuro em direção ao passado, que é a do destino.”

Passo a passo a ciência avança. É por isso que precisamos unificar a ciência e a espiritualidade. Essas “esquisitices” seriam facilmente resolvidas quando se aceitar que o Todo é Tudo-O-Que-Existe. Que estamos dentro do Todo e que o Todo é pura Consciência.

Todos os problemas existem porque não se aceita que estamos vivendo dentro do Todo.

Levará séculos e séculos, mas no fim a ciência terá de aceitar esta verdade.

09/11/2014
Hélio Couto

Direitos Autorais:
Copyright © Hélio Couto. Todos os direitos reservados.
Você pode copiar e redistribuir este material contanto que não o altere de nenhuma forma, que o conteúdo permaneça completo e inclua esta nota de direito e o link: www.heliocouto.com

sexta-feira, 12 de janeiro de 2018

Cérebro Reptiliano I





Cérebro Reptiliano I


Na medicina essa parte do nosso cérebro é conhecida como Complexo-R. Foi pesquisada pelo neurocientista Paul MacLean. Seu livro “The triune brain in evolution”, Ed. Kluwer Print on Dema, custa 1.352,70 reais. Um livro com este preço deve ser sobre um assunto extremamente importante e valioso, não acham? E também estar ao alcance de muitos poucos é claro!


Para uma descrição científica vejam: http://pt.wikipedia.org/wiki/Encéfalo


O cérebro reptiliano é responsável pela auto-preservação e agressão. Essa é sua função principal. Já está visto o quanto ele é responsável pela situação da pessoa na vida, seu dinheiro, sua saúde, seus relacionamentos, etc. O comportamento humano está na função direta do Complexo-R. Ele explica o porquê da tremenda auto-sabotagem que os humanos fazem. Entendida a função do Cérebro Reptiliano entende-se praticamente todo o comportamento humano, todos os problemas que existem nesse planeta e também qual é a solução. 


Não estou falando do cérebro dos crocodilos. O Complexo-R ou Cérebro Reptiliano é o nosso cérebro. A parte mais profunda dele. É da maior importância entender como ele funciona, pois ai a solução dos problemas aparece como passe de mágica. Já perceberam todos os comportamentos repetitivos de auto-sabotagem que os humanos fazem? O Complexo-R é o responsável. Lembram quando falo que é preciso limpar toda a programação negativa ou passar pela catarse? É nele que está toda essa programação.


Quando é associado com o cérebro límbico e a amígdala é imbatível na manipulação.


No livro “Inteligência Emocional” de Daniel Goleman está uma descrição extensa do que é um seqüestro emocional.


Todos os desejos instintivos e reações de luta/fuga provem dele. Vejamos suas características:


Todas as reações de agressividade com todas a gama de violência implícita, decorre dele. É por isso que é tão fácil criar uma guerra. Toda vez que a pessoa age sem pensar, na verdade está pensando apenas com o cérebro reptiliano. Vejam a diferença de velocidade na resposta à informação entre a amígdala e o neocortex.


Toda a sociedade está repleta de comportamentos ritualísticos. É essencialmente uma função do Complexo-R. É lógico que esses rituais implicam numa hierarquia. Em todos os setores de atividade existe a hierarquia. Toda cerimônia está baseada nisso. Isso permite a dominação, a manipulação e a exploração. Evidentemente que numa hierarquia a informação é segmentada para que apenas quem esteja no topo tenha toda a informação. Embaixo cada um sabe apenas uma pequena parte. Quando eu trabalhei em processamento de dados numa empresa pequena tinha acesso a todos os sistemas e todos os programas de cada sistema. Toda a informação passava por mim. Depois fui trabalhar numa gigantesca multinacional e ai só tinha acesso a uma pequena parte de uma parte de uma parte de um sistema. Cada analista só tinha acesso a uma diminuta parte do sistema. Ninguém conseguia entender o que fazia o sistema. Somente o gerente sabia o que aquilo significava. Se você entender até onde a informação pode ser segmentada entenderá o quão poucas pessoas entendem realmente a realidade.


Como informação é poder fica evidente que a informação não pode ser codificada de forma simples e inteligível. Ela tem de ter múltiplos significados. Desta forma pode-se falar qualquer coisa e somente poucos entenderão o alcance do que se está a falar. O cérebro reptiliano é perfeito para isso. Pois ele trabalha com símbolos. Símbolos são extremamente eficientes para passar uma informação e muito econômicos. Veja um outdoor numa estrada dizendo que dali a 29 quilômetros encontrará uma determinada lanchonete. Basta colocar o logotipo e a distância. Todo o resto da informação sobre a lanchonete está implícito no logotipo. O mesmo se aplica com a ideia de poder. Pode-se simbolizar o poder para que quem o veja saiba com o que está lidando.


Essa questão do comportamento perante o poder (o cérebro reptiliano está programado para submeter-se ao poder) é muito clara quando se vivencia isso. Uma vez um gerente de processamento de dados estava conversando comigo e tomando um café. Segurava nas mãos o copinho de café quando ouviu o diretor gritar o seu nome. O gerente ficou paralisado e não sabia o que fazer com o copo de café. Se pudesse teria deixado o copo no ar e corrido para a sala do diretor. Levou uns segundos para poder se concentrar e colocar o copo numa mesa e sair correndo para a sala do diretor. Outros podem sistematicamente ser contra o chefe, mesmo que isso seja ilógico.


A insensibilidade é outra característica do cérebro reptiliano. Pode-se ver isso nos tratamentos cruéis em relação aos animais, crianças, mulheres e pessoas mais fracas em geral. Vejam nosso DVD sobre mutilação genital feminina para ter uma ideia. Outra forma é a racionalização. Outro dia estava almoçando e ouvi uma conversa sobre uma série de televisão. Uma pessoa disse que o comportamento assassino de um líder era para defender a comunidade! É assim que se justificam milhões de mortes numa guerra, por exemplo.


O cérebro reptiliano adora controlar tudo que for possível. Nenhuma variável pode ser deixada de lado. Somente o controle absoluto interessa e é perseguido a todo custo. Isso é uma coisa compulsiva e infinita. Não passa pela cabeça dele que exista algo como Teoria do Caos, que impede o controle absoluto. Da mesma forma o Principio da Incerteza é um pesadelo para o Complexo-R. Ele abomina a indeterminação e as probabilidades da Mecânica Quântica. Daí vocês já podem ter ideia de onde vem toda a resistência em entender a Mecânica Quântica. Qualquer informação que coloque em cheque a visão dominante é abolida imediatamente. Sem nenhuma análise. Se uma pessoa afirma que a Terra gira em volta do Sol é queimada na fogueira!


Para se ter poder absoluto é preciso controlar tudo. Uma coisa implica na outra. Desta forma qualquer visão de mundo que permita divergência de opinião deve ser abolida. Somente uma única visão de mundo pode existir. Daí temos as perseguições políticas, as guerras, a Inquisição, a queima de livros, da Biblioteca de Alexandria, da Biblioteca de Atenas, os genocídios, etc. Na busca de um único controle e poder absoluto.


Uma coisa puxa a outra. Para se ter poder absoluto é preciso possuir tudo. Partes não são suficientes. Somente tudo satisfará. E esse tudo é uma coisa complicada porque o Universo é grande... Daí vem a insatisfação com qualquer quantia de dinheiro que se ganhe, com as quantidades de comida além do necessário que se come, com as compras compulsivas (lembram daquela senhora que tinha 800 pares de sapatos?), etc.. Nunca é suficiente. E a posse tem de ser sobre tudo e todos. Nada pode ficar fora do alcance.


Para se possuir tudo é preciso controlar o território. E cada um marca o território como pode. Alguns com bombas atômicas e outros fazendo xixi no poste!


O sentido de domínio dá uma enorme satisfação para o cérebro reptiliano. Lembram que Nietsche disse que somente tem dois tipos de pessoas felizes neste mundo? Os que tem o cérebro reptiliano totalmente no controle.


Toda compulsão vem da necessidade de controlar, possuir, dominar tudo e todos. Essa necessidade nunca é satisfeita, porque o medo de não ter o suficiente é inato ao cérebro reptiliano. Portanto, nunca é suficiente.


Os comportamentos obsessivos são a mesma coisa. O medo é inerente ao cérebro reptiliano. Ele teme o tempo todo. Procura a segurança absoluta o tempo todo. Imagine um alarme de carro que nunca se desliga, nem quando você está dirigindo o carro!. 


É lógico que se todos procuram o domínio total a todo custo teremos conflitos eternos. É justamente isso que acontece. Enquanto um determinado cérebro reptiliano não consegue o controle absoluto, ele se submete à outro. É uma forma de segurança também. Enquanto ele não arruma um jeito de derrubar o que está acima dele. É por isso que o superior é sempre cruel e impiedoso. Sabe que se vacilar o inferior toma seu lugar. Desta forma temos as hierarquias, que funcionam tão bem. Isso permite enfrentar outras hierarquias concorrentes. Já viram no Animal Planet um grupo de crocodilos comendo um boi? Muito instrutivo! Essa necessidade de submeter-se para garantir a segurança permite as guerras e todas as atrocidades, que são feitas “apenas cumprindo ordens”.


Para o cérebro reptiliano tudo é uma questão de sobrevivência do mais forte, mais apto, mais adaptável. Soa familiar? Isso justifica toda a barbaridade das guerras.


Da submissão à adoração temos apenas um passo. É uma forma mais eficiente de controlar criando uma adoração do que tendo de insuflar medo o tempo todo. É mais econômico. Aqui entra também a manutenção do status quo.


É claro que para criar uma estrutura assim só pode haver um tipo de comportamento. A rigidez, sem nada alternativo ou maleável. Sem pensar, sem questionar, sem analisar, etc.. Toda superstição é perfeita para isso. Se não se analisar é possível implantar qualquer crença ou superstição da maneira mais perfeita possível. Lembram que foi dito que uma mentira repetida o número adequado de vezes tomará ares de verdade? Mais fácil que tirar doce das criancinhas ou roubar o passe do metrô da velhinha!


Depois de um certo tempo, fica mais fácil ainda porque sempre foi feito daquela forma! É a tradição! Lembram da história dos chimpanzés que espancavam outro chimpanzé simplesmente porque sempre foi assim que foi feito? E se um chimpanzé questionar isso também será espancado.


Aqui também entra a visão de que este-mundo-é-tudo-que-existe. Esta visão de mundo dá um sentido de segurança muito agradável para o cérebro reptiliano. Só existe o que percebo com os meus sentidos. É por isso que posso usar celulares e não pensar em ondas. Qualquer mudança no status quo é visto como ameaça e deve ser eliminada ou ignorada. É por isso que a ciência avança funeral após funeral, como disse um físico.


O sistema de promoção por idade também é do cérebro reptiliano. Não importa a eficiência e sim a idade. 


O sistema de leis também é seguido fielmente por ele. Por mais absurdas que sejam as leis elas são seguidas. Não segui-las tem conseqüências para os que estão abaixo do Macho Alfa. O cérebro reptiliano sabe identificar isso prontamente.


Qualquer tipo de crença pode ser implantada se for suficientemente repetida. A história está repleta desses exemplos o tempo todo. Ela funciona em função de todas as características explicada acima. Da mesma forma qualquer cultura pode ser implantada facilmente. Basta ter os meios de divulgar o que quer que seja.


Sentir compaixão pela dor alheia é um sinal de evolução. Isso seria uma função do neocórtex. O cérebro reptiliano é o inverso. Para ele tudo é comida.


Cérebro reptiliano e entropia psíquica têm tudo a ver. A entropia psíquica acontece quando não controlamos nossa mente e a deixamos “vagar”. Imediatamente aparecem os pensamentos negativos. Isso porque a energia tem de ser controlada senão decai, isto é, perde energia e organização. Para que haja crescimento tem de haver um foco mental organizador. Temos de controlar nossa mente para não ter pensamentos negativos. Já sabem que tudo que pensamentos e sentimos nós atraímos. Acontece que se nós controlarmos nossa mente (isso é uma função do neocórtex) o cérebro reptiliano perde o controle. Já viram que ele tem pânico de perder o controle, portanto, ele fará de tudo para retomá-lo, isto é, para que você volte a ter pensamentos negativos. Soa familiar?


O sentimento dominante do cérebro reptiliano é o medo. Medo de tudo e de todos. Isso vai até o medo extremo de pensar que o mundo pode não ser como se pensa que é. Esse é um pânico existencial. Imagine o stress que isso causa. Para o cérebro reptiliano o continuum espaço/tempo não existe. Só existe o agora. Portanto, qualquer trauma trazido à memória provoca a mesma reação da primeira vez. Isso é uma valiosa ferramenta de manipulação! E vocês sabem que todas as funções orgânicas automáticas são controladas pelo cérebro reptiliano. Não precisamos pensar para respirar, digerir a comida, etc. Pense no poder que o cérebro reptiliano tem para moldar suas emoções, seus sentimentos e seus comportamentos. É assim que a pessoa bate o carro para estragar o aparelho que toca o cd!


Outra característica é que ele é um servo mecanismo, isto é, não aprende com os próprios erros. Isso é função do neocórtex. Portanto, os mesmos erros serão cometidos vezes sem conta. A auto-sabotagem acontece uma vez após outra. Sempre na mesma situação, seja um cargo, um salário, uma situação de melhoria na vida, etc.. É por isso que a programação do cérebro reptiliano é feita na infância com total eficiência. Tudo que a criança experienciar será gravado a ferro e fogo. Esse comportamento será repetido pela vida a fora. A não ser que seja apagado.


Toda a questão sexual está controlada pelo cérebro reptiliano, portanto, tudo diz respeito a sexo tem uma importância transcendental na nossa sociedade. Porque é pelo sexo que se programa facilmente o cérebro reptiliano. Toda lavagem cerebral feita com traumas sexuais é extremamente eficaz. Vejam os casos tidos como Transtorno de Múltiplas Personalidades. E quanto mais cedo o trauma for impingido maior a eficiência.


Em vista do explicado acima o que fazer?


Queremos ser livres ou não? Queremos ser felizes ou não? Queremos evolução ou não? É simples escapar de tudo isso acima. A simples mudança de consciência. A Consciência cria a realidade. Mudou a Consciência mudou a realidade. Nenhum ato físico é preciso. Só mudar a consciência. A visão de mundo. É uma mudança puramente interna. A mudança da consciência para um novo paradigma. Basta trocar a visão de mundo. Expandir a consciência do que é a realidade. É possível diminuir e anular o controle do cérebro reptiliano. Ele pode ser transmutado totalmente. É possível ficar livre do cérebro reptiliano. Quando a pessoa atingiu o nível de Consciência de união com o Todo, ela está livre do cérebro reptiliano.


Isso é o que a Ressonância Harmônica permite fazer. Esse é o objetivo final.

Hélio Couto


Direitos Autorais:
Copyright © Hélio Couto. Todos os direitos reservados.
Você pode copiar e redistribuir este material contanto que não o altere de nenhuma forma, que o conteúdo permaneça completo e inclua esta nota de direito e o link: www.heliocouto.com

Videos editados I


Ninguém está autorizado a editar meus vídeos e fazer montagens, cortes, adições ou qualquer outra manipulação com as imagens das palestras.

Somente com autorização por escrito alguém pode usar minhas imagens.

Isso já foi dito na palestra passada e já postei sobre isso.

Quem está fazendo isso está prejudicando o trabalho.

Existe uma estratégia de divulgação feita por mim e que está sendo seguida à risca.

Todos os vídeos editados por outras pessoas devem ser tirados de qualquer mídia em que estiverem.

Postagens populares

Marcadores